Osteoporose

O termo osteoporose é auto-explicativo, significa “osso poroso”.

É uma doença osteometabólica caracterizada pela diminuição gradual da densidade óssea com conseqüente aumento no risco de fraturas.

Classifica-se em:

primária pós-menopausa: (exclusiva em mulheres nesta fase).

primária senil: após os 75 anos, causada principalmente por alterações hormonais da senilidade, podendo afetar homens e mulheres.

secundária: ocorre associada a algumas doenças metabólicas ou do uso prolongado de certas medicações, como os corticóides.

osteoporose transitória: doença rara, diferente da osteoporose comum, afeta indivíduos jovens e normalmente é reversível. Necessita de cuidados específicos.

A osteoporose afeta a qualidade de vida e a longevidade ao expor o indivíduo a risco de fraturas por traumas banais e até a fraturas espontâneas.

As fraturas mais comumente associadas à osteoporose incluem: fraturas do punho, coluna, costelas e quadril.

Em nossa prática é extremamente comum nos depararmos com fraturas do quadril em idosos que jamais fizeram qualquer tipo de tratamento ou mesmo exame para detecção  desta doença. O problema é que as fraturas do quadril em sua absoluta maioria necessitam de tratamento cirúrgico. Na terceira idade podem estar presentes problemas cardíacos, diabetes entre outras doenças que aumentam significativamente o risco cirúrgico; então, obviamente – “é melhor prevenir do que remediar”.

Como diagnosticar a osteoporose?

Ao contrário da crença popular, a osteoporose geralmente não tem sintomas específicos.

Os sintomas surgirão em decorrências de eventuais fraturas.

Micro fraturas da coluna podem levar à dor crônica e ao que chamamos de cifose rígida ou “corcunda de viúva”, causada pela perda de altura das vértebras.

O exame conhecido como densitometria óssea é o padrão ouro para diagnóstico precoce, através da comparação da densidade óssea em quadril e coluna com uma média populacional.

You might be interested:  O que mudou nos últimos 30 anos na Cirurgia do Quadril?

Os resultados são classificados em: normal, osteopenia (diminuição da massa) ou osteoporose.

Também se considera como critério diagnóstico qualquer fratura típica da osteoporose, devendo-se iniciar tratamento adequado.

Como prevenir a osteoporose?

Adotar um estilo de vida ativo desde a adolescência, quando são formados 85% de nossa massa óssea, evitar cafeína e refrigerantes em excesso, não fumar, evitar exageros em bebidas alcoólicas, sempre que possível evitar uso contínuo de corticóides, alimentar-se de modo saudável.

Incluir em sua dieta derivados do leite, ricos em cálcio, praticar caminhadas e tomar banho de sol.

Como se trata a osteoporose?

Após os resultados da densitometria inicia-se o tratamento individualizado, normalmente em acompanhamento com um geriatra ou endocrinologista.

Além dos cuidados preventivos, são usados medicamentos, de acordo com a necessidade.

Os ossos são tecidos vivos em constante metabolismo. A doença é causada por um desequilíbrio entre as células que “fabricam” osso e as células que removem osso.

A maioria das medicações age neste sistema, de diferentes formas. De um modo simplista: ou inibem a reabsorção ou aumentam a produção de tecido ósseo.

Converse com seu médico a respeito, ele pode indicar exames diagnósticos e iniciar seu tratamento.

Exercite-se e siga o tratamento proposto.

Cuide da saúde de seus ossos!

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*